guilherme malheiros - crossfit games

O levantamento de Guilherme Malheiros que impressionou o mundo no CrossFit Games

Assista ao vídeo do momento em que o brasileiro Guilherme Malheiros deixou todo mundo de queixo caído no CrossFit Games 2017

A gente já contou aqui no Feito de Iridium sobre a incrível façanha de Guilherme Malheiros, de apenas 17 anos, que foi o único brasileiro premiado no CrossFit Games.

Só que o moleque não fez história apenas por levar o Brasil ao pódio do maior evento de CrossFit do mundo pela primeira vez. Ele simplesmente deu show na competição.

Competindo na categoria “Adolescentes 16-17 anos (masculino)”, Guilherme começou impressionando o mundo inteiro. A prova “1RM Snatch” era simples: ganhava aquele que fizesse um arranco (snatch) com a maior carga, com apenas uma repetição.

Logo de cara, o brasileiro levantou 235 lbs (106,5kg), bem acima do seu peso corporal, que é de 183 lbs (83kg). A partir daí, o monstro brasileiro foi subindo a carga e terminou a prova com 291 libras, ou exatos 132kg.

Todos que acompanhavam a disputa ficaram de queixo caído. O momento foi tão épico que a revista norte-americana Men’s Fitness o colocou como um dos 10 melhores momentos de toda a competição.

Para se ter uma ideia do feito de Guilherme Malheiros, o segundo colocado na prova, Angelo DiCicco (que mais tarde seria o campeão da categoria) levantou 267 lbs (121kg).

Mais impressionante ainda, a marca de 291 libras do brasileiro o colocaria na quinta posição da mesma prova entre os adultos, com exatamente a mesma marca de Mathew Fraser, que faturou o bicampeonato do evento.

Guilherme Malheiros até postou um vídeo bem-humorado sobre seu excelente desempenho na prova, que você pode ver aí embaixo.

O levantamento de Guilherme Malheiros que impressionou o mundo no CrossFit Games

 

E aí galera, o que acharam da primeira prova?🤔😁 #GuiNoGames #TeamMalheiros #GamesBound 🎥 @boilerchannel 😂😂😂

Uma publicação compartilhada por Guilherme Malheiros® (@guimalheiroscfcm) em

LEIA MAIS: CrossFit Games: nova dinastia, vitória milimétrica e Brasil no pódio

Comentários