6 lições que você precisa aprender para ter resultados reais na academia

Resultados são construídos com força de vontade, disciplina, dedicação. E com atenção aos detalhes. Veja o que fazer para garantir que você chegue lá!

Resultados são construídos com força de vontade, disciplina, dedicação. E com atenção aos detalhes.

Porque não adianta nada você comer bem, treinar pesado, dormir… se errar em coisas que parecem pequenas, mas têm impactos gigantescos.

A maioria desses detalhes você aprende na marra, errando, fazendo. E a gente vai te dar uma mão na roda, indicando alguns deles aqui, pra você não precisar errar para aprender.

Confira abaixo algumas lições que você precisa aprender para garantir que sua dedicação nos treinos e na dieta vão te dar os resultados que você espera.

Saca só:

6 lições que você precisa aprender para ter resultados reais na academia

1- Fique atento à pegada

Uma pegada errada é capaz não só de arruinar o exercício, mas também de causar lesões sérias.

Por exemplo, se você fizer o supino com uma pegada mais aberta do que o recomendado, você vai forçar demais os seus ombros, e eles possivelmente vão pagar caro por isso.

Isso vale para a maioria dos exercícios, onde uma pegada que não esteja de acordo com sua capacidade física e técnica (e com carga envolvida) pode colocar tudo a perder.

Do outro lado da moeda, uma pegada adequada, ou uma variação de pegada na hora e do jeito certos podem aumentar os benefícios do treino.

Então, fique atento à esse detalhe. Se você não sabe qual a melhor pegada para determinado exercício, pergunte a um especialista. Não subestime a importância disso.

2- Controle a carga (e seu ímpeto marombeiro)

ray williams recorde

Todo mundo quer levantar o maior peso possível, ter um recorde impressionante, chamar atenção na academia.

Demonstrações de força são realmente impressionantes, mas é certo que você não vai ligar a mínima para o quanto você levanta no supino quando arrebentar o ombro.

Além disso, forçar a barra para levantar o maior peso possível vai, quase com certeza, comprometer a execução do movimento e eventualmente colocar todo o seu esforço a perder.

É verdade que treinar no limite tem lá sua recompensa, mas o risco é alto e na maioria das vezes não vale a pena – a não ser, claro, que você esteja em um estágio MUITO avançado de treino.

Controle essa maldita carga e não tente dar um passo maior que a perna!

LEIA MAIS: Ombros: 5 erros comuns que podem comprometer o seu treino
LEIA MAIS: 5 hábitos que podem ser impedir seu desenvolvimento físico

3- O descanso é mais importante do que você imagina

Essa dica vale tanto para os iniciantes quanto para os avançados.

O iniciante vai querer resultados rápidos e isso vai fazê-lo pensar em treinar todos os dias, o tempo todo. Já o avançado, mesmo ciente da importância do descanso, vai ser vencido pela “sede de treinar” em várias ocasiões.

Não caia nessa. Tenha seus dias de folga da academia, deixe seu corpo descansar e seus músculos se recuperarem.

Se você treinar todo dia, com sessões intermináveis e muito intensas, você corre sérios riscos de entrar em “overtraining” e de catabolizar. Não é isso que você quer né?

A recuperação muscular é fundamental para o desenvolvimento do seu corpo, e para isso é preciso segurar a onda e descansar.

4- Só os vacilões não fazem aquecimento

Isso significa sentar no tapetinho antes do treino e fazer poses de ioga ou alongamentos que você odeia? NÃO.

Existem várias formas de aquecer – e alongamento não é uma delas. Já falamos de uma muito eficiente aqui mas, de forma geral, é possível aquecer fazendo o mesmo exercício do seu treino, apenas com carga e série menores.

O personal trainer Laercio Refundini já deu dicas valiosas neste vídeo aí em cima.

O fato é que aquecer pode ser um pouco chato, mas é fundamental para evitar lesões e para preparar seu corpo para um esforço intenso – e isso pode melhorar seus resultados significativamente.

5- Faça uma boa variedade de movimentos

 

Pesos livres são melhores do que máquinas“, “multi-articulares são melhores do que isolados“, “barra é melhor do halteres”.

Esqueça essas polêmicas. É bem verdade que existem casos em que um tipo de exercício é mais eficiente do que outro, mas, em geral, você deve fazer de tudo no seu treino.

Pode dar preferência para algum deles? Claro que sim, principalmente se quem chegou à essa conclusão foi um educador físico.

Mas priorizar é diferente de dar exclusividade. Então, faça um pouco de tudo, foque no que você mais gosta e no que é melhor para você e seus objetivos, mas não abra mão da variedade.

Diferentes estímulos oferecem benefícios em mais frentes e promovem ganhos maiores e mais rápidos. Ponto.

6- A competição é com você mesmo

 

Musculação é um esporte individual. Se você vai entrar em modo competição com os caras ao seu redor (amigos ou não), pode apostar que isso não vai dar certo.

Você pode até se sentir recompensado e motivado por levantar mais que outros caras, mas no longo prazo isso não faz a menor diferença se os seus objetivos não forem atingidos.

Por exemplo, se você quer ganhar massa muscular. O que adianta ser o recordista do supino se você não crescer o quanto quer?

Além disso, cada corpo é diferente: as necessidades são outras, as capacidades também. O que vale para um, não vale necessariamente para todos.

Então, essa competição não serve para nada senão causar lesões e tirar o seu foco.

Se quer competir, compita consigo próprio. Não importa quanto o seu parceiro de treino levanta… o importante é quanto VOCÊ levantava!

É óbvio que esses são só alguns dos milhares de detalhes que qualquer maromba que se preze deve prestar atenção. Mas já é alguma coisa, né?!

 

Comentários