ajustes exercícios - remada unilateral

4 exercícios famosos que ficam ainda melhores com pequenos ajustes

Alguns exercícios que são muito bons podem ficar ainda melhores se você fizer pequenos ajustes. Na academia, os detalhes fazem toda a diferença!

Alguns exercícios que são muito bons podem ficar ainda melhores se você fizer pequenos ajustes. Porque na academia, detalhes fazem toda a diferença!

A gente já falou em outro post sobre como a inclinação do tronco no mergulho pode mudar ênfase do tríceps para o peitoral, ou o contrário. E isso se aplica a vários outros movimentos.

Alguns casos todo mundo conhece, como as diferentes pegadas na barra fixa ou no supino, que fazem cada variação oferecer benefícios diferentes apenas mudando as mãos de lugar ou de posição.

Mas em muitos outros exercícios, os ajustes não apenas mudam o músculo enfatizado, como ainda deixam os exercícios ainda melhores e mais eficientes. E são alguns exemplos disso que separamos nesse post.

Veja como alguns exercícios bastante conhecidos e que você provavelmente pratica frequentemente podem ficar ainda melhores com pequenos ajustes na execução. Com certeza seu treino vai melhorar muito com essas dicas! Se liga:

4 exercícios famosos que ficam ainda melhores com pequenos ajustes

1- Remada unilateral com halteres

Ao invés de deixar os ombros imóveis e paralelos ao chão, faça uma rotação de tronco em direção ao mesmo lado que você está segurando o haltere.

Por exemplo, se você está fazendo a remada com o braço direito, gire o ombro direito cerca de 15 graus, deixando-o um pouco mais baixo do que o ombro esquerdo.

Fazer isso vai aumentar a amplitude do movimento, permitir que você aproveite melhor a carga e não “roube” no fim do movimento, aumenta a contração muscular das costas e ainda trabalhar a escápula.

2 – Extensão do tríceps

Ao invés de fazer esse exercício com halteres, como é mais comum, faça no cabo, com a polia baixa.

O exercício “original” não é ruim, mas nesta variação você trabalha o tríceps de todos os ângulos possíveis.

Os halteres, cujo peso fica todo para baixo, acaba trabalhando o músculo apenas de uma forma. Já com a polia baixa, a ativação é mais completa e consistente.

Do ponto de vista da biomecânica, trabalhar com a polia baixa também é melhor, pois explora toda a capacidade do músculo e permite uma maior amplitude de movimento.

3- Desenvolvimento com halteres

A variação é pequena: ao invés de abrir totalmente os braços, deixe-os mais fechados. Se normalmente as pessoas fazem esse exercício com os braços paralelos aos ombros, na variação eles ficarão numa diagonal.

Na posição normal, o exercício comprime músculos do manguito rotador e pode causar estresse na articulação dos ombros. Nessa variação, a tensão é maior nas porções média e anterior dos deltoides, que é a parte dos ombros que devem ser trabalhadas.

Ou seja, uma pequena mudança na angulação dos braços faz com que você evite lesões e problemas de articulação, e ainda favoreça o desenvolvimento dos músculos dos ombros.

4- Avanço com halteres

Ao invés de fazer o avanço com halteres “tradicional”, com o tronco ereto, incline o tronco para frente, cerca de 45 graus em direção ao chão – mantendo a coluna reta, claro.

A cada repetição, os halteres devem estar na frente dos seus pés, e não ao lado do quadril, como aconteceria se você fizesse da forma “original”.

Isso vai aumentar o recrutamento dos glúteos e do quadril, ao mesmo tempo em que diminui o esforço dos joelhos.

A única ressalva para esta variação é se o seu objetivo for trabalhar o quadríceps. Nela, a ativação desse músculo é menor, então não valerá a pena se este for seu foco.

Quer deixar seu treino ainda melhor? Faça esses ajustes e aumente seus ganhos!

Comentários